• Bruno Gonçalves

O Coração Galopa Mostrando a Intensidade da Vida


"... o meu trabalho não é com números.
O meu trabalho é com pessoas e o universo complexo e fascinante que cada um é como indivíduo…"

Tenho uma tia que me disse que em criança, sempre que ela se mostrava triste, eu aparecia com poesias e flores para tentar alegrá-la.


Com efeito, percebo que a dor dos outros também tende a atingir-me.

Talvez por isso, vi-me a querer estudar o como tentar amenizar o sofrimento de diversas pessoas quando me pediam um colete salva-vidas.

Creio que é por isso que o meu trabalho não é com números.

O meu trabalho é com pessoas e o universo complexo e fascinante que cada um é como indivíduo…


Vejo que neste momento o mundo sofre... uns de medo, outros de patologias diversas, outros por se sentirem ameaçados a perder a liberdade.

Para muitos que vivem no medo, limitar a circulação pode até parecer uma decisão acertada para o "bem de todos". Não digo que temporariamente não cumpra um objectivo à partida lógico.

Mas a história também ensinou que limitar a liberdade levou a algumas guerras e catástrofes humanitárias, daí que desejo do fundo do meu coração que seja tudo realmente temporário. Para o bem de todos…


A história ensina que hoje podem-te tirar o direito de caminhar pelo país por isto, amanhã é sujeito tirarem por aquilo e acoloutro, e quando virmos, se não estivermos atentos, a liberdade pode vir a ser apenas um conjunto de letras ôco, em que de democracia poderá haver muito pouco.

Penso que nos próximos tempos as viagens são mais para dentro de cada um de nós do que para outras partes do globo.

Aperte bem o seu colete salva-vidas para esta viagem interior.

É uma boa oportunidade para isso. Para nos reconectarmos com a nossa essência, perceber que muitos de nós estamos tensos, mas não estamos malucos ou doentes.


Pequenas gotas de bom senso podem resolver problemas que parecem oceanos, por isso não deixemos de praticar o que acreditamos, visitar regularmente o silêncio, mesmo que isso signifique não sairmos muitas vezes do nosso pequeno grande mundo que é o nosso Lar.

O nosso coração tem espaço para muita gente, mas priorise a saúde dele, em prol de grandes conflitos com quem não vê o mundo com os seus olhos..

Exigirá esforço, mas cuidemos do corpo, pesquisemos e apliquemos o que vamos aprendendo.

Eu sei que o coração galopa mostrando a intensidade da vida... mas aproveitemos essa energia para nos cuidarmos e nos fortalecermos. Cultivarmos a nossa palavra, as amizades e o alimento.


Não podemos deixar de acreditar que um mundo mais equilibrado é possível de ser co-criado e todos temos a responsabilidade afectiva para o tornar realidade.


Bruno Gonçalves (Naturopata e Fasciaterapeuta)

Consultoria em Qualidade de Vida