• Bruno Gonçalves

Artrite e Artroses - Descubra as Diferenças


Apesar de por vezes andarem ligadas, artrites e artroses, têm aspectos e sintomas específicos.
A diferença é que artrite é a inflamação nos tecidos que formam a articulação e a osteoartrite, popularmente conhecida por artrose é a degeneração da articulação.

Na minha atividade profissional diversas vezes me perguntam a diferença entre artrite e artrose, se são a mesma coisa e se tem tratamento. A resposta é que não são a mesma coisa e sim, em alguns casos, o quadro sintomático pode melhorar com tratamento, dependendo de alguns factores e do estilo de vida da pessoa.

Apesar de por vezes andarem ligadas, artrites e artroses, têm aspectos e sintomas específicos.

A diferença é que artrite é a inflamação nos tecidos que formam a articulação e a osteoartrite, popularmente conhecida por artrose é a degeneração da articulação.



A inflamação é uma resposta normal e saudável do corpo para regenerar os tecidos, mas quando uma pessoa vive constantemente com dores quer dizer que a inflamação não diminui, e então torna-se crónica podendo vir a desenvolver diferentes patologias. Há até teorias que ligam algumas doenças degenerativas do cérebro ao fato da pessoa quando em jovem e adulta não ter curado os processos inflamatórios corretamente.

Todas as articulações do corpo podem vir a sofrer com artrite e artrose mas as mais afectadas são aquelas que executam movimentos mais repetitivos durante um trabalho ao longo dos anos, como ocorre por exemplo no motorista de taxi.

Há vários tipos de artrite, mas a mais comum é a artrite reumatoide que é uma doença inflamatória crónica grave, debilitante, com localização variada mais comumente nas articulações. A sua incidência é maior entre mulheres dos 50 a 70 anos, tendo uma relação de prevalência de 2 a 3 mulheres para 1 homem.

A artrose é o endurecimento natural das articulações. Trata-se de uma doença reumática degenerativa, que chega a acometer 30% da população adulta acima dos 50 anos. As partes mais atingidas são as articulações das mãos, joelhos, coxofemurais e da coluna.

É muito comum observar que a artrite mal tratada evolui para artrose e que a artrose crônica pode tornar-se aguda e originar um novo quadro de artrite.

Sinais e sintomas de artrite:


> Dor na articulação que piora com o movimento e melhora com o repouso da articulação;

> Possível inchaço rosáceo da articulação com aumento ligeiro da temperatura da mesma;

> Pode haver rigidez articular com dificuldade em movimentar a articulação;

Sinais e sintomas de artrose:

> Dor na articulação que piora com o movimento e melhora com o repouso da articulação;

> Deformidade da articulação com enrijecimento e diminuição da mobilidade articular;

> Dificuldade em realizar movimentos com a articulação devido a dor e a rigidez.

Tratamento

O principal objetivo do tratamento é aliviar os sintomas e permitir que os portadores levem uma vida normal, sem dor ou limitações de movimento e isso é possível com tratamento osteopático, com certos suplementos nutricionais, uma vida com exercício físico moderado, Yoga ou práticas meditativas. Nem sempre é possível reverter casos graves, mas na minha prática clínica, sei que é possível trazer mais qualidade de vida se a pessoa estiver disposta a aprender a cuidar de si. A boa evolução do tratamento depende igualmente desta evitar certo tipo de alimentos e incrementar outros na sua alimentação diária. Por exemplo é sabido que alimentos ácidos, ou que acidificam o pH do sangue aumentam a dor e dietas ricas em alimentos alcalinos e nutrientes como a chamada Alimentação Viva, baseada sobretudo em alimentos crus, trazem mais qualidade de vida à pessoa. É mais simples do que parece, basta dar o primeiro passo.

Outras Recomendações são:

  • o evitar atividades que promovam impactos repetitivos nas articulações debilitadas;

  • adoptar posturas mais corretas para evitar posições forçadas que sobrecarreguem as articulações;

  • praticar exercícios isométricos que fortaleçam a musculatura para conferir estabilidade às articulações;

  • controlar o ganho de peso;

É importante saber que cirurgias e outros tratamentos à base de medicação química só deverão ser feitas em último caso, pois muitas vezes pioram mais do que auxiliam.

Para mais informações e questões acerca do seu caso específico entre em contato.


Bruno Gonçalves (Naturopata e Fasciaterapeuta)

Consultoria em Qualidade de Vida

((+351) 964387506)